Archive for the 'Gustave Flaubert' Category

MADAME BOVARY, Gustave Flaubert

julho 14, 2010

Alguns homens (uns quinze), de vinte e cinco a quarenta anos, disseminados entre os pares ou conversando à entrada das portas, distinguiam-se da multidão por um ar de família, fossem quais fossem as diferenças de idade, de trajes ou de figura.
Suas casacas, mais bem cortadas, pareciam feitas de um tecido mais macio, e seus cabelos, puxados em caracóis em direção às têmporas, pareciam brilhar com uma pomada mais fina. Possuíam a tez da riqueza, aquela tez branca realçada pela palidez das porcelanas, pelo reflexo dos cetins, pelo verniz dos belos móveis e cuja saúde é mantida por um regime discreto de alimentos requintados. Seus pescoços movimentavam-se à vontade sobre suas gravatas baixas, suas longas suíças caíam sobre colarinhos voltados; enxugavam os lábios com lenços bordados com um grande monograma e de onde saía um aroma suave. Os que começavam a envelhecer tinham um ar jovem, enquanto alguma coisa de maduro espalhava-se no rosto dos jovens. Em seus olhares indiferentes flutuava a quietude das paixões diariamente saciadas – e, por meio de suas maneiras suaves, despontava aquela brutalidade particular que confere o domínio de coisas semifáceis nas quais a força age e a vaidade se diverte -, o manejo dos cavalos de raça e a convivência com mulheres perdidas.

DICIONÁRIO DAS IDEIAS FEITAS, Gustave Flaubert

novembro 19, 2009

ACIDENTE – Sempre deplorável ou lastimável (como se alguém pudesse achar alegre uma desgraça…).

ALEGRIA – Sempre acompanhada de “louca”.

AQUILES – Acrescentar “dos pés ligeiros”; isto faz crer que se leu Homero.

ASSASSINO – Sempre covarde, mesmo quando foi intrépido e audacioso. Menos culpado do que um incendiário.

CALOR –  Sempre insuportável. Não se deve beber quando faz calor.

INTRODUÇÃO – Palavra obscena.

IMBECIS – Todos aqueles que não pensam como nós.

INVERNO – Sempre excepcional (ver verão). É mais saudável do que as outras estações.

ITALIANOS – Todos músicos. Todos traidores.

LOIRAS – Mais quentes do que as morenas (ver morenas).

MORENAS – Mais quentes do que as loiras (ver loiras).

NEGRAS – Mais quentes do que as brancas (ver morenas e loiras).

OTIMISTA – Equivalente de imbecil.

RISADA – É sempre homérica.

RUIVAS – Ver loiras, morenas e negras.

SANÇÃO PRAGMÁTICA – Ninguém sabe o que é.

SÍFILIS – Mais ou menos, todo mundo tem sífilis.

VERÃO – Sempre excepcional (ver inverno).

MADAME BOVARY, Gustave Flaubert

novembro 13, 2009

bovary0

Aliás, mais as coisas eram próximas, mais seu pensamento se afastava delas. Tudo o que a rodeava imediatamente, campo entediante, pequenos-burgueses imbecis, mediocridade da existência, parecia-lhe uma exceção no mundo, um acaso singular em que ela se achava presa, enquanto do outro lado estendia-se, à perda de vista, a imensa região das felicidades e das paixões.

%d blogueiros gostam disto: