Archive for the 'Miguel de Cervantes' Category

DON QUIJOTE DE LA MANCHA, Miguel de Cervantes

agosto 17, 2010

—Yo sé quién soy.

O ENGENHOSO FIDALGO D. QUIXOTE DA MANCHA, Miguel de Cervantes

agosto 10, 2010

Fez-me o céu, de acordo com o que vós dizeis, formosa, e de tal maneira, que, sem poderdes fazer outra coisa, a que me ameis vos move minha formosura, e pelo amor que me mostrais dizeis e ainda quereis que esteja eu obrigada a amar-vos. Eu sei, com a natural razão que Deus me deu, que tudo o que é formoso é amável; mas não consigo compreender que, em razão de ser amado, esteja obrigado o que é amado por formoso a amar quem o ama. Mais ainda, poderia acontecer que o amador do formoso fosse feio, e, sendo o que é feio digno de ser aborrecido, mui mal seria o dizer “Amo-te por formosa: tens de amar-me ainda que seja feio”. Mas, no caso de serem parelhas as formosuras, nem por isso hão de ser parelhos os desejos, porque nem todas as formosuras enamoram: algumas alegram a vista e não rendem a vontade; se todas as belezas enamorassem e rendessem, seria um andarem as vontades confusas e desorientadas, sem saber em qual haveriam de parar, porque, sendo infinitos os sujeitos formosos, infinitos haviam de ser os desejos. E, de acordo com o que eu ouvi dizer, o verdadeiro amor não se divide, e há de ser voluntário, e não forçado. Sendo assim, como eu creio que o é, por que quereis que se renda minha vontade à força, obrigada tão somente por dizerdes que me amais? Se não, dizei-me: se assim como o céu me fez formosa me tivesse feito feia, seria justo que me queixasse de vós por não me amardes?

(…)

Aquele que me chama fera e basilisco deixe-me como a coisa prejudicial e má; aquele que me chama ingrata não me sirva; aquele que me chama mal-agradecida me desconheça; aquele que me chama cruel não me siga; porque esta fera, este basilisco, esta ingrata, esta cruel e esta mal-agradecida não os buscará, servirá, conhecerá nem seguirá de maneira alguma.

%d blogueiros gostam disto: